Ouvindo Agora

Pedidos
Winamp, iTunesWindows Media PlayerReal PlayerQuickTime

News:

João Paulo: 05/02/2015 - Felicidade, quando passa, dói. Tristeza, quando dói, passa. É tudo uma questão de tempo.

Maksuell Jairo: 27/11/2014 - Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe.

Notícia

Meliante é preso em São Luis de Montes Belos onde o mesmo pode ter envolvimento em série de mortes de mulheres em Goiânia…

Na Madrugada de hoje (9) Sábado por volta das 2h20 policiais da ROTAM ( Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas) da cidade de Goiânia prendeu em São Luis de Montes Belos um homem que é suspeito de um roubo em uma panificadora na cidade de Goiânia  e devido a sua fisionomia e também as características de sua motocicleta, este meliante pode estar envolvido nos assassinatos de mulheres na cidade de Goiânia.

ssf

Este veículo de comunicação acompanhou a prisão do meliante sendo que o mesmo estava na calçada da casa de sua sogra e ao avistar a viatura tentou evadir do local não obtendo êxito, ao ser preso o mesmo foi indagado pela arma e a moto usada nos crimes, este disse que havia sumido com a arma não sendo possível indicar o paradeiro da mesma, e que a moto encontrava-se na casa de sua cunhada no Setor Vera Cruz em Goiânia. Em posse dos objetos a equipe deslocou até o 20º DP, onde fora lavrado o flagrante delito pelo crime de receptação Art. 180 do CPB, entrega de foragido recapturado. As investigações pra confirmar se o meliante é um dos autores da onda de homicídios contra mulheres na cidade de Goiânia, ficará a cargo da Policia Civil.

ewew

O meliante Possui varias passagens  entre elas:

(07) Art. 157 do CPB
(02) Art. 33 da lei 11.343/06
(01) Art. 180 do CPB
(01) Art. 311 do CPB
(01) Art. 28 da lei 11.343/06

Junto com o meliante em São Luis  estava sua esposa que ao ver o Marido ser preso pediu para ir junto com ele até Goiânia onde seria tomadas as providências cabíveis ao caso, o que foi aceito pelos policiais ao entrar na parte da viatura onde se transporta os presos a mesma entrou em desespero pedindo que os policiais a tirasse dali que segundo ela não aguentaria, ao ser retirada da viatura a mesma pediu que a mãe chamasse um táxi, para acompanhar as viaturas.

Segundo os policiais só nesses últimos 3 meses o suspeito já foi preso 2 vezes, uma pela ROTAM   e outra pelo GIRO,  o comandante Major Eldecirio  deu todo apoio necessário para que a operação obtivesse êxito, Quem não mediu esforços também foi a  SD Marcela que auxiliou os policiais de Goiânia para encontrar o endereço em que o meliante estaria  escondido.

A polícia Civil deixou claro que o homem preso em São Luis não é suspeito de cometer nenhum homicídio, mais será investigado se o mesmo tem algum envolvimento em algum dos crimes.

O veículo do suspeito foi localizado desmontado na casa de familiares dele, em Goiânia. “Provavelmente as peças seriam vendidas separadamente, por ser uma moto roubada”, disse o tenente da PM José Alberto Cortez. Ainda segundo o policial, a motocicleta era usada para cometer os assaltos.

Para a PM, o suspeito se enquadra no perfil dos criminosos procurados pela força tarefa. “Tanto as características físicas como a utilização da própria motocicleta e a forma de atuação se assemelham muito com algumas informações colhidas pela Polícia Militar”, tenente da PM José Alberto Cortez.

De acordo com a polícia, o suspeito confessou o envolvimento nos assaltos a comércios de Goiânia, mas negou participação nos homicídios de mulheres. Ainda segundo os agentes, o homem tem 12 passagens pela polícia pelos crimes de roubo e tráfico de drogas.

O suspeito foi apresentado à força-tarefa da Polícia Civil, que está focada nas investigações de homicídios contra mulheres.

Primeiro suspeito
Na sexta-feira (8), a Polícia Civil divulgou a prisão do primeiro suspeito de participar dos homicídios envolvendo mulheres na capital. Para não prejudicar as investigações, a polícia não revelou o nome nem a idade do jovem. Também não foi informado onde ele está detido. A força tarefa informou que, inicialmente, ele é investigado por dois dos 17 crimes.

“Ele foi ouvido e inicialmente nega a participação, mas apreendemos com ele uma moto preta, roupas pretas capacete preto e vários objetos que poderão nos ajudar a esclarecer e vincular ele a algum desses dois fatos ou excluir a participação dele”, afirmou o superintendente da Polícia Civil, Deusny Filho.

De acordo com a polícia, o suspeito é ex-dentento do sistema prisional goiano e já tem uma extensa ficha criminal, com passagens pelos crimes de assalto e formação de quadrilha. Segundo o delegado,  a polícia propôs dois mandados de prisão contra o homem após a instituição da força-tarefa.

“Representamos pelos dois mandados de prisão após a criação da força-tarefa por acreditar que ele [o suspeito detido] tem envolvimento em dois dos casos investigados. Já o ouvimos e ele negou participação nos fatos, mas ainda é o principio da apuração e vamos ouvi-lo outras vezes”, disse.

Força-tarefa
A força-tarefa da Polícia Civil investigava 18 casos ocorridos neste ano em Goiânia, mas na coletiva de sexta-feira (8) o delegado descartou um dos crimes, que era uma tentativa de homicídio contra uma mulher. Entre os homicídios que continuam sendo apurados estão as mortes de 15 mulheres, a de um homem e uma tentativa de homicídio de uma vítima do sexo feminino.

“Sentamos junto com a investigação e concluímos que essa tentativa sequer aconteceu. Isso fez a polícia perder muito tempo e dinheiro em busca de um fato falso, prejudicando de sobremaneira nossa apuração. Agora, trabalhamos com 17 casos”, destacou.

Participam do grupo de investigação 16 delegados, sendo os nove da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), três que atuam em outras delegacias e mais três do interior do estado. Além deles, 30 agentes e dez escrivães também integram o grupo.

Série de assassinatos
O primeiro crime da série de assassinatos ocorreu em 18 de janeiro, quando Bárbara Luiza Ribeiro Costa, de 14 anos, foi executada por homens em uma motocicleta, no Setor Lorena Park, na capital. Na época, a polícia informou que eles roubaram o celular da vítima e fugiram.

A vítima mais recente foi a estudante Ana Lídia Gomes, de 14 anos, morta no dia 2 deste mês por um motociclista em um ponto de ônibus do Setor Conjunto Morada Nova. Por causa das semelhanças dos crimes, o assassinato de Ana Lídia aumentou a desconfiança da população de que um assassino em série está agindo em Goiânia.

Segundo informações da Polícia Civil, os crimes tiveram dinâmica semelhante. Porém, de acordo com o delegado titular da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), Murilo Polati, as investigações apontam que as motocicletas usadas são de marcas e cilindradas diferentes, além das descrições físicas dos suspeitos não serem as mesmas.

O delegado explica que algumas das investigações indicam crimes passionais e outras apontam envolvimento das vítimas com consumo e tráfico de drogas. Entretanto, ele não dá detalhes para não comprometer os inquéritos.

Desde maio, quando surgiu a possibilidade de que exista um “serial killer” na capital, após uma mensagem de voz compartilhada pelo aplicativo de celular Whatsapp, a Polícia Civil tratava o caso como um boato. No último dia 3 deste mês, a corporação voltou a afirmar que não crê na possibilidade de que um assassino em série esteja agindo em Goiânia, mas admitiu, pela primeira vez, que não descarta a hipótese.

Fonte: Ratinho Noticias

Comentarios



Publicidade

Capital Moda e Estilo

Contato




Pedidos




Baixe o Flash Player para executar...